Com o preço que você estabeleceu para o seu produto ou serviço, você tem conseguido cobrir todas as suas despesas e ainda gerar os lucros desejados para o seu negócio? Sabe como o cálculo do markup pode lhe ajudar nesse sentido?

Neste artigo, com a ajuda do professor e coordenador de cursos do LABFIN.PROVAR – FIA Rogério Alexandre Gonçalves, vamos falar sobre esse indispensável tópico da área de finanças para que sua empresa se mantenha competitiva e lucrativa.

O que é markup?

Markup é um dos métodos mais utilizados para empresas de qualquer tamanho e natureza para a definição do preço de venda de um produto ou serviço.

Aplicado ao preço de custo de uma dada mercadoria, ele tem como finalidade permitir que o gestor ou empreendedor cubra todas as despesas e gere o lucro desejado para o seu negócio a partir do preço de venda praticado.

O que é necessário fazer para se definir o markup?

A primeira coisa a se fazer é checar o custo do produto. Até que este seja vendido ao seu consumidor final, quais são os custos de todo o seu processo de produção, incluindo também fatores como transporte, logística e tributação?

Ou seja, nessa primeira etapa, é preciso considerar todos esses fatores diretamente relacionados ao valor que você movimenta para aquisição ou produção de determinado item.

Deve-se, em seguida, fazer o levantamento de todas as suas despesas operacionais, tanto as fixas quanto as variáveis.

As despesas fixas são aquelas que independem do seu faturamento.

Por outro lado, as despesas variáveis são aquelas que, ao contrário, estão condicionadas ao faturamento – ou seja, à produção e/ou venda das mercadorias que você comercializa.

Outro passo importante do markup é a determinação da margem de lucro que você espera para o seu negócio.

“O markup deve remunerar todos os fatores além do custo. Podemos definir em três grandes grupos: a estrutura da empresa (despesas operacionais), impostos e a margem de lucro (o quanto a empresa espera ganhar com a atividade)”, resume o professor Rogério Gonçalves.


Como calcular o markup?

Levando em conta os aspectos acima mencionados, para o cálculo do markup utilizamos à seguinte fórmula: 100/[100-(DF+DV+LP)].

100 equivale ao preço unitário total do item em percentual. DF diz respeito às despesas fixas, enquanto DV se refere às despesas variáveis.

E como você já deve supor, LP representa a margem de lucro pretendida para cada unidade de produto.

Para o cálculo do markup, devem ser aplicados os valores de todos os componentes da fórmula que indicamos acima em percentual.

Suponhamos, então, o seguinte cenário: suas despesas fixas (DF) representam 10% do faturamento e as variáveis (DV), 20%, enquanto a margem de lucro pretendida por você (LP) é de 15%. Ou seja:

100/[100-(10+20+15)]
=100/[100-45]
=100/55
=1,81

O índice encontrado — 1,81 — é justamente o que chamamos de markup. Para calcular o preço de venda — ou seja, aquele que cobre todos os custos e ainda garante a margem de lucro desejada —, multiplica-se o valor encontrado para o markup pelo custo unitário total do item adquirido ou produzido para comercialização.

Neste exemplo, considerando o custo unitário igual a R$100,00, chega-se ao preço de venda de R$181,00.

Por que o markup é importante?

Estabelecer a precificação de produtos e serviços é uma tarefa bastante complexa, uma vez que, como vimos nos tópicos anteriores, muitos fatores devem ser considerados para tal definição.

Se, por um lado, a complexidade é alta, a realização correta e cuidadosa de tal operação pode ser o diferencial que garanta sobrevivência e competitividade às empresas num contexto de profundas transformações no mercado.

“A correta apuração dos custos e a definição do markup permitem que a empresa possa se manter competitiva e lucrativa”, comenta o professor Rogério Gonçalves.

Ainda segundo ele, quando falamos de pequenos e médios negócios, a importância do markup é ainda maior, “pois o alto índice de mortalidade desses negócios pode ser explicado pela falta de aplicação de conceitos relacionados a finanças”.

Além de investir em conhecimentos financeiros, deve-se, antes de mais nada, conhecer e avaliar profundamente a estrutura do seu negócio para uma precificação adequada de seus produtos e serviços.

“Não basta tentar acompanhar a concorrência para efetuar uma precificação correta. Se o markup não for calculado de forma correta, a empresa pode faturar muito, porém o resultado não será suficiente para cobrir a estrutura. Observamos boas ideias, que vendem bastante, porém, mesmo assim, a empresa quebra, pois o negócio não é sustentável”, reflete o professor.

***

Aproveite a visita ao nosso blog e conheça todos os nossos cursos de MBA e pós-graduação na área de finanças